Caixa realiza nova edição do Feirão da Casa Própria em Santos

A surpreendente recuperação da venda de imóveis
março 21, 2018
Diferencial para o construtor com certificado
maio 1, 2018

Quarenta construtoras e imobiliárias devem participar do evento, que ocorre no final de maio.

A Caixa Econômica Federal realiza entre 25 e 27 de maio o Feirão da Casa Própria no Mendes Convention Center. Segundo o superintendente do banco na região, Sydney Soares Filho, 40 construtoras e imobiliárias deverão participar do evento, que será realizado dentro do Mega Salão da Casa Própria.

O banco ainda não definiu as metas de financiamento para o feirão. Segundo Soares Filho, os detalhes e as negociações com o setor imobiliário devem ser fechados só na próxima semana. A expectativa dele é que as construtoras ofereçam descontos de 10% a 15% para imóveis novos.

No ano passado, o feirão de Santos movimentou R$ 190 milhões em contratos e 1 mil imóveis financiados.

Ontem, o presidente da Caixa, Nelson Antônio de Souza, anunciou o cronograma de feirões pelo País que terão R$ 15 bilhões para as 15 maiores cidades com os eventos. No total serão 200 mil imóveis (Santos não está nesse número).

Assim como nos anos anteriores, os eventos da Caixa oferecem a possibilidade de pesquisar preços, simular prestações, escolher um imóvel e até dar entrada na papelada.

A expectativa para este ano é grande porque os feirões começam logo após a Caixa reduzir taxas de juros da casa própria e de aumentar a cobertura do imóvel usado, de 50% para 70% (o comprador paga 30% à vista e a Caixa financia 70%).

A taxa de juros mínima cobrada pela Caixa pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) caiu de 10,25% para 9,00% ao ano para imóveis até R$ 950 mil. Pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), que cobre acima dos R$ 950 mil, o mínimo de 11,25% recuou para 10%.

Prazo para pagar

O prazo máximo para pagar é de 35 anos, mas o presidente da Caixa sugere ao comprador destinar o maior volume possível de recursos à entrada para reduzir as prestações. “Dê a maior entrada possível para manter sua capacidade de pagamento mensal”.

Pesquisas internas da Caixa apontam que na prática os mutuários que têm empréstimos residenciais demorados, dos 20 aos 35 anos, acabam pagando todo o saldo devedor em 15 anos.

Para isso, basta fazer abatimentos a cada dois anos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ou a qualquer momento com recursos próprios.

Mercado animado

Os feirões da Caixa são aguardados todos os anos pelo mercado imobiliário como oportunidade para deslanchar as vendas. Agora, com redução de juros, cobertura ampliada e uma economia em recuperação, a expectativa é maior ainda, segundo o sócio da Família Imóveis, João Carlos Faneco.

“Só com o anúncio de que a Caixa reduziu os juros e melhorou o limite de financiamento, a procura aumentou aqui na imobiliária na semana seguinte”, afirma ele.

De acordo com o empresário, a demanda é por imóveis de dois quartos. De acordo com ele, os preços estão atraentes, mas as duas partes, comprador e vendedor, precisam facilitar o negócio.

Santos é um mercado conhecido pelo preço mais elevado, mas há muita opção, o que viabiliza a pechincha. As construtoras estão com imóveis novos em estoque, assim como a crise de 2015 e 2016 melhorou a oferta de usados, um mercado grande na Cidade.

FONTE: ATRIBUNA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *